Mais Que Vencedores



“Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.” (Romanos 8:37/NVI)

No que pensamos quando olhamos para as nossas vidas? Olhamos para as bênçãos ou apenas para o que ainda desejamos? O que consideramos bênçãos? O que consideramos precioso? Somos gratos pela metade cheia do copo ou preferimos lamentar pelo que falta? Consideramo-nos vencedores por meio de Cristo, ou humilhados por nossa condição sócio-econômica? Talvez, o primeiro passo seja se perguntar: Considero-me um vencedor? O que é ser um vencedor do ponto de vista cristão?

“Pois os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito.” (Romanos 8:5/JFA)

Nosso pensamento a respeito da satisfação tem muito a ver com o que consideramos "recompensador", o que faz valer o nosso esforço. O que nos faz vibrar? O que planejamos fazer? Com qual objetivo? Quando nossos desejos alinham-se com as expectativas que o mundo sugere que devemos ter, com aparentes necessidades individuais, condições de vida, status, retribuições que acreditamos merecer ou situações que passamos "injustamente", nossa vida está direcionada pela carne, pelo que é visível, finito e perecível. “Mas se esperamos o que ainda não vemos, aguardamo-lo pacientemente" (Romanos 8:25/NVI); pois, assim, demonstramos que esperamos o que está além desse mundo, dessa realidade aparente.

A sociedade não se impressiona com pessoas que têm estilos de vida simples: um emprego razoável, uma família, um lugar modesto para morar, alguns poucos bens e nenhum luxo. Para muitos, pessoas que estão nessas condições não parecem grande coisa, não são vencedores, por vezes, são vistos como fracos e acomodados. Mas, segundo Paulo, o que importa não é o que conseguimos perceber, querer e conquistar através da nossa visão e entendimento do concreto, mas o que desejamos, mesmo sem ver de antemão, pela esperança que surge da fé nas promessas do Criador (Hebreus 11:1).

Quem são os vencedores no mundo de hoje, reconhecidos como grandes? Na maioria das vezes são as tais “celebridades”, pessoas ricas, famosas, grandes líderes ou aqueles que possuem alguma habilidade específica, como um atleta de alto nível. Quem daria o título de vencedor a um simples pai de família dedicado, um trabalhador honesto, um marido fiel, uma mãe cuidadosa, um jovem que acredita na pureza, ou, simplesmente, a um “pecador que se arrepende” (Lucas 15:10), tornando-se servo (Marcos 10:42-43)?

“Fazer o que é justo e certo é mais aceitável ao Senhor do que oferecer sacrifícios.” (Provérbios 21:3)

A viúva pobre e Zaqueu são dois exemplos, aparentemente muito diferentes, de pessoas que optaram pela justiça ao conforto, tomando atitudes específicas que demonstravam a sua confiança nas promessas de Deus, independente da situação em que se encontravam. Zaqueu era rico (Lucas 19:2), mas vivia uma vida de pecado (Lucas 19:7), baseada em injustiça e egoísmo; a viúva era extremamente pobre, tinha muito pouco para viver (Marcos 12:44); no entanto, ambos consideraram as riquezas do Reino de Deus, mesmo sem as ver, melhores do que o dinheiro e as riquezas mundanas (Lucas 19:8). Não se apegaram ao muito pela arrogância, ou ao pouco pela auto-piedade, mas entregaram suas vidas nas mãos de Deus, confiando os seus dias a reconhecerem-no como o senhor de suas vidas, e suas recompensas invisíveis e futuras como algo precioso e certo (Hebreus 11:13-16).

Não importa se você é rico ou pobre, casado ou solteiro, empresário ou empregado, jovem ou velho, famoso ou desconhecido, o que importa é o “lugar” onde deposita a sua confiança: no dinheiro, independência, carreira, negócios, aparência física, status, ou na justiça, integridade, aconselhamento, sabedoria, oportunidades de fazer o bem, de transmitir bondade sem esperar recompensas. O que é mais difícil: Vencer o pecado que habita em nosso coração e as imperfeições do nosso caráter que nos impedem de realizar as “obras que Deus requer” (João 6:28-29), ou vencer na vida? Que tipo de vencedor você quer ser? Aquele que busca conquistar o que depende unicamente de si mesmo, da sua capacidade humana, ou aquele que vive como quem aguarda o sublime Reino de Deus, pela fé e pelo Espírito? Voltando ao copo meio cheio e meio vazio: Como você tem valorizado o que recebeu do Criador? O que está faltando?

“Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas. Pois vocês morreram, e agora a sua vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a sua vida, for manifestado, então vocês também serão manifestados com ele em glória.” (Colossenses 3:1-4)

Amém!


0 visualização
Igreja de Cristo internacional de SP

(11) 4113-9583

comunica@icoc.org.br

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • Branco Twitter Ícone
  • White YouTube Icon

@2018 by Igreja de Cristo Internacional de São Paulo

logo.png
  • icoYT-escuro
  • Instagram Social Icon