Em espírito e em verdade



“No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura. Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade". (João 4:23,24)

Contexto:

Os versículos acima relatam parte da conversa de Jesus com a mulher samaritana, quando Jesus retornava à Galiléia com seus discípulos. Era uma cena incomum, um judeu conversando com uma mulher samaritana; pois, desde a divisão de Israel entre os reinos do Sul (Judá), cuja capital era Jerusalém; e do Norte (Israel), cuja capital era Samaria (1 Reis 12:16-17); e do estabelecimento de altares idólatras por parte do rei Jeroboão, nas cidades samaritanas (1 Reis 12:31); o remanescente leal à dinastia de Davi continuou considerando o templo em Jerusalém como único lugar sagrado e adequado para a adoração – apesar de suas sucessivas quedas posteriores.

Outros fatores, durante séculos de desentendimentos, contribuíram para que essa separação se tornasse cada vez mais efetiva, ao ponto de os samaritanos serem considerados pelos judeus como impuros, traiçoeiros e idólatras, indignos, apartados da verdade da Lei de Moisés (). Assim podemos entender, no contexto, que, apesar de Jesus ser judeu, do povo que detinha a autoridade sobre a forma correta de adorar, e que existia o templo e a cidade certa para se adorar, conversava com uma pessoa impura, por ser samaritana, além de ser uma mulher de reputação duvidosa (João 4:17-18).

Espírito (πνεύμα)

A palavra grega, possui possibilidades interessantes de interpretação, e seu significado preciso pode ser influenciado pelo sentido do texto e da semântica própria da passagem em seu contexto. Algumas sugestões de tradução que podem fazer sentido nos versículos acima apontam para uma ação do espírito, independente da vontade carnal (natureza humana pecaminosa), como segue: “espírito racional, o poder pelo qual o ser humano sente, pensa, decide; um espírito, i.e., simples essência, destituída de tudo ou de pelo menos todo elemento material, e possuído do poder de conhecimento, desejo, decisão e ação” (Strong, J. / 2012). Além disso, a palavra, no contexto bíblico, carrega o sentido de “espírito que dá vida”, ou seja, de essência da vida, de elemento único que pode animar a carne trazendo vida. Assim a interpretação do significado de “adorar em espírito”, remete a uma transformação ocasionada pela ação do espírito, sobrepondo-se à razão humana. Algo intenso, já que é empreendido por toda força do fôlego da vida, e contínuo, não ficando limitado a um lugar (templo, cidade), a uma forma (ritual, Lei), ou a uma etnia.

No capítulo anterior, Jesus conversa com o fariseu Nicodemos (João 3), que aparentemente – ou parcialmente – havia crido em Jesus (João 3:2). Quando Nicodemos questiona Jesus, espera receber um ensino sobre Deus, algo para complemento ao seu conhecimento, mas Jesus afirma que ele deveria “nascer de novo” (João 3:3), “da água e do Espírito” (João 3:5). O renascimento não era físico, do corpo, mas, sim, do espírito: da mente; dos valores; dos ideais; da vontade; da natureza; enfim; da vida. O corpo precisa do sopro para viver, mas Nicodemos investiu a sua energia em aprender através de uma lógica humana, e não divina. Jesus veio revelar a vontade de Deus, da qual Nicodemos não era mestre (João 3:10-11), precisava renascer, reaprender, transformar-se, e o primeiro passo era crer (João 3:15-16).

Verdade (αληθεια)

“E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará". (João 8:32)

Crer é o primeiro passo dado em direção à transformação necessária para ser um adorador. O significado do termo em grego para adorador/adoração, e seus derivados (proskuneo = “beijo de cachorro” / Strong, J. / 2012), remetem a um sentido de estar prostrado, reverente (beijar a mão); não tem a ver, diretamente, com a ação de entoar cânticos ou orações, em determinadas situações, como comumente se ouve, mas em colocar Deus como o Senhor de nossas vidas, em enxergar-se como alguém que precisa de redenção, de perdão, da graça salvadora de Deus, de sua justiça e verdade. Mais uma vez, o sentido remete à renovação de valores; trocar o status quo do mundo pela aceitação e confiança no plano e na justiça de Deus em nossas vidas, em prática, não apenas “de boca” (Tiago 2:17 / 1 João 3:18).

Quando Jesus falou com os “judeus que haviam crido nele” (João 8:31), falava a supostos religiosos, mas o episódio os revela como “mentirosos”, falsos adoradores. Jesus compara verdadeiros adoradores aos que praticam as obras de Abraão, ou seja, a homens que vivem pela fé, entregando suas vidas a Deus na prática, e não apenas em palavras ou rituais humanos.

Conclusão

Segundo o exposto, partindo da análise contextual, literária, em harmonização com outros textos bíblicos, e trazendo isso para o nosso tempo, pode-se propor uma boa interpretação dos versículos acima, entendendo-se que a adoração é a expressão de uma vida transformada pela fé e prática da verdade de Deus, em toda e qualquer circunstância. Não está restrita a uma situação (Ex.: culto); povo; pessoa com certa vocação especial (pastor, cantor, orador); lugar (cidade, templo) ou forma (Ex.: louvor); mas, é expressa em cada decisão, em cada negação aos padrões desse mundo (Romanos 12:2), em cada momento que usamos nossa força, energia, razão, emoção, para nos colocarmos disponíveis, prostrados diante de Deus, agindo segundo Ele ensina e espera (Lucas 22:42) . Deve-se acrescentar, também, que um adorador vai buscar conhecer cada vez melhor a vontade de Deus para poder viver segundo a sua justiça (Salmo 119:40).

“ (...) ‘Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.’” (Mateus 6:9-10)

Referências Bibliográficas

A BÌBLIA Sagrada. Nova Versão Internacional – Online. Maio de 2015. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/nvi/> Acesso em maio de 2015. (Todas as citações bíblicas).

STRONG, J. Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. SBB, São Paulo, 2002. Disponível em: <https://hebreuisraelita.files.wordpress.com/ 2012/06/dicionario-biblico-strong-lc3a9xico-hebraico-aramaico-grego-james-strong.pdf> Acessado em maio de 2015.


0 visualização
Igreja de Cristo internacional de SP

(11) 4113-9583

comunica@icoc.org.br

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • Branco Twitter Ícone
  • White YouTube Icon

@2018 by Igreja de Cristo Internacional de São Paulo

logo.png
  • icoYT-escuro
  • Instagram Social Icon